15 nov 2019

I Encontro do Sertão Nordestino sobre Não Violência integra estudantes de quatro instituições de ensino

No dia 02 de outubro é celebrado o Dia Internacional da Não Violência e em alusão a data a Facape, em parceria com a UPE, promoveu o I Encontro do Sertão Nordestino nesta quarta feira (02). O evento teve início com uma mesa redonda, no auditório da Facape, que reuniu palestrantes das Ciências Sociais, História e Direito discutindo as implicações da violência e a gestão do Estado numa cultura de paz.

A integração deu o tom do encontro, que teve a presença de estudantes da Facape, UPE, Uneb e Univasf. Os alunos expuseram trabalhos apresentados em diversos simpósios temáticos proporcionando o compartilhamento de conhecimentos científicos entre áreas distintas. O evento também contou com minicursos que trataram sobre violência simbólica, o percurso histórico da violência e a relação do Direito com a violência no trabalho.
Profª Drª Anna Christina Freire, que leciona no curso de Direito Facape e integrou a comissão organizadora do evento, destaca o comparecimento massivo dos estudantes nos minicursos e a contribuição de cada palestrante. “O encontro foi um ação interinstitucional e permitiu o diálogo entre profissionais e estudantes de três áreas distintas no sentido de discutir ações para garantir uma cultura de paz, tolerância, compreensão e não violência”, afirma a professora.

A desembargadora aposentada, Maria Cristina Mattioli, ministrou o minicurso sobre violência no trabalho e trouxe as resoluções da convenção contra violência e assédio no trabalho da organização Internacional do Trabalho (OIT). Maria Cristina reforça a importância da implantação de medidas preventivas para que não ocorra nenhuma forma de assédio, nem moral, sexual, psicológico, econômico ou virtual. “A comunicação não violenta é uma das técnicas que vêm sendo empregadas para se combater o assédio, porque muitas vezes a violência no trabalho tem origem numa falha de comunicação. Além disso há uma elaboração de códigos de conduta, canal de denúncia sigiloso que resguarde a identidade da vítima e impeça qualquer tipo de retaliação. Estas ações objetivam melhorar o ambiente de trabalho”, relata a ex-desembargadora.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.