20 jun 2019

Estudantes da Facape se reúnem para debater o cárcere feminino

Na noite dessa quinta-feira (09/05) a Facape foi local para uma roda de conversa cujo tema foi o cárcere feminino, baseado no livro “Presos que menstruam”, de Nana Queiroz. A conversa foi promovida pelo coletivo Maria Amélia de Queirós, um grupo formado por estudantes de diversas faculdades da região com o objetivo de debater assuntos importantes do mundo atual.

O livro de Nana Queiroz reúne relatos de mulheres que estão ou estiveram presas e, para enriquecer o debate, o coletivo conseguiu a presença de duas detentas do sistema prisional feminino de Petrolina, que estão em regime semiaberto. Os temas discutidos foram maus tratos, falta de objetos de higiene pessoal como papel higiênico e absorventes, agressões, a falta de agentes penitenciárias mulheres para prisões femininas, e até mesmo a situação de pessoas trans no cárcere.

O coordenador do curso de Direito, Carlos Romeiro, e a professora do mesmo curso, Jaiza Sammara, estiveram presentes na roda de conversa e puderam agregar seus conhecimentos aos assuntos discutidos. “A sociedade não discute encarceramento feminino porque em tese a mulher não pratica crimes. O sistema prisional, nossas leis, nossa execução penal, não foram criados para as mulheres e sim para os homens. Então é muito interessante um momento para que a gente possa debater com mulheres que passam pela situação e abrir a mente”, comenta Jaiza, que está inserida em estudos relacionados ao tema e já produziu um artigo intitulado “Arlequina: paixão, violência e criminalidade” no qual discute o fato de que muitas mulheres são inseridas no mundo do crime por conta dos homens com os quais se relacionam.

O coletivo Maria Amélia continuará debatendo o tema do sistema prisional brasileiro em posteriores reuniões. Gessika Priscila Castro é do 8º período de Direito da Facape, faz parte do coletivo e foi uma das mediadoras desse encontro. “Nossos eventos são no estilo de roda de conversa justamente para criar um contato maior com outros colegas da gente, um laço maior. Assim a gente pretende realmente criar um coletivo, usar do conhecimento de cada um e promover ações sociais”.

A ação dessa vez é arrecadar material de higiene pessoal, remédios para cólica e roupas para o presídio feminino de Petrolina. Aqui na Facape as doações estão sendo recolhidas no DCE, das  8h às 12h, 14h as 18h, e 18:30 às 21:30.

Deixe uma resposta