15 nov 2019

Curso de Serviço Social da Facape dá início a 3ª edição do Congresso de Serviço Social com muita música, debate e diálogo.

O evento contou com a apresentação cultural da banda Nós, que se apresentou ao público com a música “cota não é esmola” em sintonia com o tema desta edição, na luta contra o desmonte do direito social.

O III Congresso de Serviço Social da Facape deu início as suas atividades na noite desta segunda-feira (01) com apresentações culturais e debates em torno do tema desta edição, que aborda a luta contra o desmonte dos direitos sociais. A cerimônia de abertura do Congresso contou a participação de alunos, professores e profissionais da área. Estiveram presentes também, compondo a mesa de abertura do congresso, o presidente da Facape, Antônio Habib, a Coordenadora do curso de serviço social, professora Maria Lúcia e os alunos representantes do curso de serviço social, Lucas Filipe, do 7º período e Priscila Britto do 8º período.

Priscila Britto, aluna do 8º período do curso de Serviço Social que compôs a mesa de abertura do Congresso, comenta a importância do evento para fomentar discussões, dada a conjuntura atual do país, tratando dos direitos socais. “O evento é um ato de resistência para a nossa categoria, discutir, 40 anos depois do rompimento com o conservadorismo, sobre os desafios que correm na mesma direção do passado. Fora isso, o congresso de serviço social é um espaço democrático de troca de conhecimento para estudantes e profissionais, afinal não tem como se manter crítico sem reflexões constantes do nosso cotidiano”, afirma.

O evento deu continuidade à programação com a apresentação da banda Nós, que cantou a música: “cota não é esmola”, de autoria da cantora Bia Abrantes em uma apresentação cultural. Logo após o evento seguiu com a mesa redonda sobre o tema: Serviço Social contra o racismo um compromisso ético: 40 anos de resistência, ministrada pela professora doutora, Magali da Silva Almeida, Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Serviço Social da UFBA  e mediado pela professora Emanuela Oliveira Spínola.

A professora Magali trouxe durante a palestra, um pouco de sua trajetória em compromisso com a democracia e com a liberdade dos trabalhadores, afirmando a importância de sempre compartilhar conhecimento, trazendo esses debates para o campo do serviço social. “O serviço social brasileiro, ao longo desses 40 anos, luta por um projeto de profissão descrito na sociedade brasileira em defesa da democracia, da justiça social, do trabalho e dos direitos”.

A coordenadora do curso de serviço social, Maria Lucia da Silva, agradeceu a participação de todos e reafirmou que a proposta do congresso é estimular a produção do conhecimento dos docentes e discentes da Facape e dos profissionais da região do Vale do São Francisco, estimulando o elo entre o ensino, pesquisa e extensão. “A relevância desse evento se dá pela necessidade de fortalecer e propiciar diálogos entre discentes e docentes sobre os debates atuais pertinentes ao Curso de Serviço Social, contribuindo para o processo de acumulo teórico, organização política da categoria. Além de fortalecer o diálogo entre os profissionais já em exercício com aqueles que estão em processo de formação”.

A programação segue do Congresso segue com apresentações dos trabalhos, lançamento de livro, debate com mesa redonda e minicurso. A programação completa pode ser conferida  no link http://sistemas.facape.br:8080/eventosacademicos/arquivos/23/editais/PROGRAMACAO_ALTERADA.pdf

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.